Escola e TDAH



  • Tendo ciência de que é muito difícil pensar em colocar filhos portador de TDAH em escolas especializadas, ou por conta do custo que geraria, ou por distância, ou até mesmo para evitar o estigma que geralmente é atribuído a crianças que estudam em colégios especializados, elencamos alguns cuidados e providências que os pais devem estar atentos para que a escola possa se tornar um ambiente saudável para o portador de TDAH colaborando para uma melhor adaptação dessas crianças.

    ● Fale com diretores, professores sobre TDAH e tente perceber se demonstram conhecer sobre o assunto e medir o nível de aceitação que a escola tem para com essas crianças.
    ● Questione quanto ao número de alunos por sala de aula (ideal máximo de 20), se há outras crianças com a mesma condição e de que maneira são vistas e/ou tratadas por colegas e professores e se ainda a escola dispõe de profissionais como: psicólogos, psiquiatras que possam dar um suporte aos professores quando estes tiverem de recorrer a uma orientação especializada.

     

    ● Escola completamente alienadas da literatura sobre o transtorno devem ser evitadas

     

    ● Veja quais são as políticas com relação as punições ( o portador de TDAH possivelmente se submeterá a elas) veja o quão á vontade você se sente com relação a essas políticas e se essas visam apenas punir ou se também tem uma abordagem no sentido de evitar a repetição do comportamento que gerou tal punição.

     

    ● Observar se a escola mantém um canal aberto para a comunicação com os pais e vice-versa

     

    ● Observar o número de crianças com TDAH na sala ou qualquer transtorno de aprendizagem, uma vez que geralmente os professores toleram um número bem pequeno de adversidades nesse sentido.

 

O TDAH é comum?

Ele é o transtorno mais comum em crianças e adolescentes encaminhados para serviços especializados. Ele ocorre em 3 a 5% das crianças, em várias regiões diferentes do mundo em que já foi pesquisado. Em mais da metade dos casos o transtorno acompanha o indivíduo na vida adulta, embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos. 

Existe mesmo o TDAH?

Sim, ele é reconhecido oficialmente por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em alguns países, como nos Estados Unidos, portadores de TDAH são protegidos pela lei quanto a receberem tratamento diferenciado na escola.

Contato

#FECHADOCOMOTDAH fechadocomotdah@gmail.com